Causas mais comuns de fogo

 

 Informe-se para aumentar a prevenção

Segundo o Corpo de Bombeiros, não são comuns grandes incêndios em condomínios residenciais. Mesmo assim, três fatores devem ser observados com atenção por serem causa frequente de acidentes:

  1. Sobrecarga de energia em "T"s ou "benjamins"
  2. Brincadeira de criança com material indevido, como isqueiros e papéis
  3. Panelas esquecidas no fogo

Condomínios comerciais

  • Nos condomínios comerciais, as causas mais comuns de incêndio são relacionadas a curto-circuitos na parte elétrica. Papéis e cigarros também formam uma combinação perigosa.

Algumas medidas ajudam a evitar problemas graves em caso de incêndio:

 

  • Deixar as porta corta-fogo sempre desobstruídas
  • Não colocar latas de lixo nas escadas
  • Evitar trancar a caixa do hidrante
  • Verificar sempre furos nas mangueiras
  • Executar testes frequentes na rede de hidrantes
  • Isolar garagem do edifício com portas corta-fogo para evitar que incêndios em automóveis se propagem pelo prédio  

Combate a incêndio no carro
 

Fumaça "branca sem cheiro" é vapor de água (radiador).
Fumaça "escura", densa, com cheiro forte é princípio de incêndio.
Estacione o veículo em local seguro, retirando os passageiros; não provoque acidentes.
Mantenha a calma, lembrando sempre que o "tanque de combustível, em geral, está bem longe do motor".
Retire o extintor do suporte; rompa o lacre destravando a válvula.
Use o extintor na vertical; nunca "deitado" ou "de cabeça para baixo".
Através de uma pequena abertura no capô do motor, aplique parte do agente extintor provocando o abafamento do fogo.
Abra cuidadosamente o capô, localize o foco de incêndio e elimine-o por completo.

Cuidados preventivos contra incêndios
 

Ainda que grandes incêndios sejam muito raros em prédios, pequenos acidentes do gênero são relativamente comuns


• Os funcionários devem ser treinados para saber como agir corretamente em situações de emergência.
• É conveniente, pelo menos uma vez por mês, checar o estado dos extintores, e fazer testes de funcionamento com as mangueiras dos hidrantes.
• Não deve haver correntes prendendo os extintores, nem cadeados na portinhola dos hidrantes.
• Observar se não houve despressurização de algum extintor (acionado acidentalmente ou por vandalismo). Se estiver despressurizado, o manômetro estará na faixa vermelha. Neste caso, tem que ser recarregado.
• Todos os extintores devem ser inspecionados anualmente, por empresa especializada. A cada 5 anos, recomenda-se realizar o teste de pressão.
• Também as mangueiras devem ser testadas anualmente por empresa especializada.
• Não devem estar conectadas na tubulação.
• Verificar se a mangueira dos hidrantes está enrolada corretamente. Para dobrar, as conexões da mangueira com a tubulação de água e com o esguicho devem ficar para fora.
• Checar se a mangueira está em bom estado, sem furos ou desgastes.
• A mangueira não deve ter água em seu interior, nem a caixa de hidrante. Isso ocasionaria o apodrecimento do tecido da mangueira.
• O registro do barrilete do hidrante deve estar sempre aberto.
• As portas corta-fogo devem fechar completamente, sem estarem com calços ou com abertura obstruída

Tipos de extintores
Conheça e saiba para quais situações são indicados
 

Para ajudar no combate de pequenos focos de incêndio, foram criados os extintores.


• Há vários tipos de extintores de incêndio, cada um contendo uma substância diferente e servindo para diferentes classes de incêndio.
Extintor com água pressurizada
• É indicado para incêndios de classe A (madeira, papel, tecido, materiais sólidos em geral).
• A água age por resfriamento e abafamento, dependendo da maneira como é aplicada.
Extintor com gás carbônico
• Indicado para incêndios de classe C (equipamento elétrico energizado), por não ser condutor de eletricidade. Pode ser usado também em incêndios de classes A e B.

Extintor com pó químico seco
• Indicado para incêndio de classe B (líquido inflamáveis). Age por abafamento. Pode ser usado também em incêndios de classes A e C.
Extintor com pó químico especial
• Indicado para incêndios de classe D (metais inflamáveis). Age por abafamento.
Não use água
• Em fogo de classe C (material elétrico energizado), porque a água é boa condutora de eletricidade, podendo aumentar o incêndio.
• Em produtos químicos, tais como pó de alumínio, magnésio, carbonato de potássio, pois com a água reagem de forma violenta.
Recomendações
• Aprenda a usar os extintores de incêndio.
• Conheça os locais onde estão instalados os extintores e outros equipamentos de proteção contra fogo.
• Nunca obstrua o acesso aos extintores ou hidrantes.
• Não retire lacres, etiquetas ou selos colocados no corpo dos extintores.
• Não mexa nos extintores de incêndio e hidrantes, a menos que seja necessária a sua utilização ou revisão periódica.

© 2016 Proteção Master. Todos os direitos reservados.                                                                                                                                                   Produzido por: Proteção Master

CLIENTE MASTER N°

99170-6220

94

94

ATENDIMENTO

3323-0590

Marabá / PA - CEP 68501-660

Avenida Transamazônica, 1773

Sábados 08:00hs às 12:00hs

Segunda a Sexta 08:00 às 18:00hs